terça-feira, 1 de março de 2011

IC9 e tuneis com pouca luz ao fundo

A mais que desejada, a almejada construção do IC9 tornou-se num pesadelo. Já nem se fala, até porque parecem esquecidos, dos objectivos de ligar Tomar a Leiria com Ourém no meio, ou da complicada negociação dos nós (nós para aqui, nós para ali… e nós a vermos!).
O pesadelo, sobrepondo-se a esperanças nascidas e a dificuldades vencidas, foi e continua, sobretudo, para alguns habitantes deste nosso concelho. Que muito se têm queixado.
Por isso mesmo, na reunião da Assembleia Municipal de 28 de Fevereiro, o Presidente da Câmara, na sua informação antes da ordem do dia, referiu-se às queixas, que notificara e reunira com os empreiteiros, que estes se comprometeram mas que, posteriormente, surgiram outros problemas, como foi o do túnel na freguesia da Gondemaria que (cito) "avançava com o total desconhecimento do Município", de onde... mais reuniões e a situação de tal modo grave que o Presidente afirmou que, a continuarem assim as coisas, (cito de novo) "a Câmara Municipal irá avançar com uma providência cautelar para o cumprimento da legislação e do PDM".
Ainda sobre o assunto, naquele ponto (antes) da ordem de trabalhos, o Presidente da Junta da Atouguia pediu mais esclarecimentos, pois o dito túnel não atravessará apenas a freguesia da Gondemaria.
E por aqui nos teríamos ficado se não tivesse chegado, atrasado, o Presidente desta Junta que, logo que pôde, pediu desculpas pelo atraso e informou que, tendo escrito ao executivo, há mês e meio, sobre o IC9 propondo várias medidas e, entre elas, uma providência cautelar, na ausência de resposta, resolvera a Junta avançar com uma acção judicial sua contra o Instituto das Estradas.
Perante algum silêncio constrangedor, um balbucio de que o Presidente se referira ao assunto e o risco de passagem a um qualquer ponto seguinte, fiz uma intervenção intempestiva com a única finalidade de chamar a atenção para a gravidade de, perante uma situação que parece justificar acções do Município contra o Estado, ou empreiteiros por sua conta, se colocar a possibilidade de a Câmara e uma Junta tomarem posições eventualmente paralelas, que são aquelas que nunca se encontram..., chegando a perguntar se isso se devia a ter sido a Junta ganha por força partidária diferente da que ganhou a Câmara (o que foi veementemente recusado...), e apelando a que se entendessem para apenas haver uma posição do Município em situação tão delicada e que tanto, e há tanto tempo, incomoda seriamente os munícipes, perturbando o quotidiano de muita gente.
Que assim seja!

3 comentários:

João Filipe Oliveira disse...

"Com total desconhecimento do município"? Se calhar a carta perdeu-se pelo caminho. Acontece muito. Se calhar foi remetida para o edifício antigo por descuido, sem se lembrarem que o município tinha mudado de residência. Eheheh

Luís Neves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luís Neves disse...

Porque vivo de perto a situação, digo: uma parte significativa da população ainda não se apercebeu que a estrada não serve para ir a Leiria; com as suas sucessivas alterações de túneis, nós e outras passagens, mais parece que não existe projecto e que é em cada manhã que se decide por onde as máquinas devem avançar; as condições em que são feitos os desvios de trânsito - o da estrada de Caxarias-Ourém é uma Vergonha - demonstram um desprezo total pelas populações locais e pelos transeuntes e uma afronta aos poderes do poder local. Mas não há ninguém com poder para domar estes empreiteiros?!